Cartaz 30maio 

 

 

Grupo Nós do Morro e Petrobras apresentam o “Cine Nós do Morro- Ciclo Cinema Brasil”, uma atividade gratuita, aberta ao público, que oferece sempre um bom filme e debate após as sessões, visando à educação, o entretenimento e a difusão da cultura cinematográfica.

 

O “Ciclo Cinema Brasil” apresenta um panorama do cinema plural produzido nos estados brasileiros. 

 

Segunda, dia 30 de maio às 19h30, exibiremos o filme: Democracia em Preto e Branco, de Pedro Asbeg. 

 

Após a sessão, debate com o diretor Pedro Asbeg e mediação Gustavo Melo.

 

SOBRE O FILME:

 

Sinopse

Tendo como pano de fundo a lendária Democracia Corinthiana, o nascimento das bandas de rock brasileiras e a campanha das diretas já, “Democracia em Preto e Branco” mostra como o esporte, a política e a música se encontraram para mudar o rumo da história do País nos anos 80.

 

Classificação Indicativa: 10 anos

 

Ficha Técnica

Direção: Pedro Asbeg

Produção executiva: Gustavo Gama Rodrigues e Rodrigo Letier

Locução: Rita Lee

Texto e redação: Arthur Muhlenberg

Edição: Renato Martins, edt.

Direção de fotografia: Rodrigo Graciosa

Som direto: Rene Brasil

Pesquisa: Marcio Selem

Videografismo: Renato Vilarouca e Rico Vilarouca

Identidade visual: Tiago Peregrino

Trilha sonora original: Lucas Marcier e Fabiano Krieger

Edição de som e mixagem: Damião Lopes

Correção de cor: Daniel Canela

Pós-produção: Anna Julia Werneck

Co produção: TV Zero, Miração Filmes e ESPN

 

SERVIÇO DO CINE NÓS DO MORRO:

 

Toda última segunda-feira do mês.

 

Horário: 19h30

 

Local: Casarão do Grupo Nós do Morro (Rua Dr. Olinto de Magalhães, 54, Vidigal)

 

Entrada gratuita: Distribuição  de senhas 30 minutos antes da sessão

 

Lotação da sala: 50 pessoas

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

 

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

 

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

 

 

 

Show das Cinco

 Foto Acervo Nós do Morro

 

 

Domingo, 10 de junho de 1990. Faltando apenas dez minutos para a “transmissão televisionada” do programa Show das Cinco, o caos está instaurado. Nos camarins, tamanha é a confusão que o atraso parece inevitável. Câmeras posicionadas. Por trás das coxias, atrizes e atores mirins retocam a maquiagem. Prêmios são selecionados. A plateia espera ansiosa e o show precisa começar. Brilham os primeiros feixes dos refletores. Guti Fraga, com a intimidade e a irreverência de uma escolada estrela televisiva, toma conta do palco, enquanto o grupo Nós do Pagode dedilha acordes do tema.

 

Com sua televisão de mentirinha, o Morro do Vidigal distribui às crianças, durante cinco anos, pura fantasia. O programa conta com as apresentadoras em cadência de pagode, sinuosas paquitas e outros atrativos. Aos domingos, no Centro Comunitário Padre Leeb, o sucesso é garantido.

 

Sem qualquer fórmula, o Show das Cinco valoriza a simplicidade do programa-para-criança-feito-para-criança. Além de Guti, diretor e idealizador da brincadeira, o palco é disputado pelos oito integrantes do conjunto Nós do Pagode, por “gutetes” das redondezas em maiôs coloridos e por uma infinidade de calouros entre 6 e 14 anos.

 

A euforia infantil mostra-se já nos portões do bem equipado teatro do Centro Comunitário Padre Leeb, uma hora antes do inicio do show. Do lado de dentro, as oitenta cadeiras de madeira acolhem duas a três crianças cada uma, com atenções vidradas no cenário policromado, participando ativamente do “programa televisionado para todo o Brasil”. A câmera de isopor não esmorece um só segundo durante uma hora e meia de espetáculo.

 

No principio, Guti Fraga distribui, pessoalmente, convites pela vizinhança. Mas confirmado o sucesso, um ingresso de NCz$ 2,00 (moeda da época) passa ser cobrado. Faz parte da estratégia de profissionalização do projeto, que conta com uma equipe de operadores de som e de iluminação, além das quarenta crianças fixas que integram a rede de animadores da garotada.

 

Inspirações à parte, tomadas de artistas consagrados como a cantora Rosana e a então apresentadora de programas infantojuvenis, Angélica, além de vinhetas criadas e treinadas durante incansáveis ensaios.

 

Um corpo de júri, composto por autoridades artísticas e por representantes da própria comunidade, julga performances musicais e dublagens.

 

A vez agora é dos artistas mirins!

 

 

Continue acompanhando os 30 anos de trajetória do Grupo Nós do Morro. Até semana que vem!

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

 

 

 

Domando a Megera Café Pequeno

 

Nós do Morro apresenta “Domando a Megera” no Teatro Municipal Café Pequeno.

 

Encenada pela primeira vez no final do século XVI, em Londres, “A megera domada”, de William Shakespeare, tornou-se um de seus mais populares textos. As peripécias vividas pelo casal Petruchio e Catarina ganham nova e moderna montagem teatral do grupo Nós do Morro, formado por atores do Vidigal, no Rio.

 

“Domando a Megera” é um bem-humorado musical de autoria de Luiz Paulo Corrêa e Castro e direção de Fernando Mello da Costa, que também assina a cenografia.

 

A adaptação de Luiz Paulo Corrêa e Castro foi fundamental para atualizar a linguagem e também para aproveitar os jogos de palavras, alguns de cunho erotizado. Dessa forma, a montagem escancara a proposta de Shakespeare de apresentar um espetáculo de doma de uma megera, fato corriqueiro nas sociedades europeias desde a Idade Média, destaca o dramaturgo.

 

Aliada à proposta de modernização do texto, o Nós do Morro convidou o parceiro e compositor Gabriel Moura para fazer a direção musical e criar mais de 15 canções do espetáculo, todas tocadas ao vivo pelo próprio elenco.

 

 

A montagem reúne 20 atores que se dividem em duas trupes de artistas que se enfrentam para apresentar suas leituras simultâneas para o enredo do dramaturgo inglês.

 

 

O espetáculo volta à cena no dia 19 de maio para curta temporada, de quarta a domingo, até 29 de maio, com ingressos a preços populares: R$10 (inteira) e R$5,00 (meia).

 

 

FICHA TÉCNICA:

 

Texto Original: William Shakespeare

 

Tradução e adaptação: Luís Paulo Corrêa e Castro

 

Direção: Fernando Mello da Costa

 

Elenco: Camillo Oliveira, Cida Costa, Eduardo Bastos, Gizzela Mascarenhas, Helio Rodrigues, Hugo Alves, Juliana Melo, Renata Grieco, Lorena Baesso, Luís Delfino, Melissa Arievo, Marcello Melo, Nino Batista, Renan Monteiro, SabrinaRosa, Ramon Francisco, Sandro Mattos, Tatiana Delfina, Rafael Papel e Giordano Bruno.

 

Direção Musical e Música Original: Gabriel Moura

 

Figurinos: Kika de Medina

 

Cenografia: Fernando Mello da Costa

 

Designer de luz: Renato Machado

 

Operação de luz: Lívia Ataíde

 

Designer de som: João Paulo Pereira

 

Operador de som: Raphael Janeiro

 

Preparação Corporal, Direção de Movimento e Coreografias: Marcia Rubin

 

Técnica Vocal: Leila De Souza Mendes

 

Instrutora de canto: Gabriela Geluda

 

Instrutor de técnica circense: Rafael Senna

 

Instrutor de Percussão: Wellinton Soares

 

Direção de Produção: Dani Carvalho

 

 

SERVIÇO:


Domando a Megera

 

Temporada: de 19 a 29 de maio de 2016

 

Local: Teatro Municipal Café Pequeno (Av. Ataulfo de Paiva, 269, Leblon)

 

Dias e horários: quarta a domingo, às 20h

 

Capacidade: 80 lugares

 

Duração: 95 minutos

 

Classificação indicativa: 14 anos

 

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

Cartaz Hoje é dia de Rock

Acervo Nós do Morro: Arte criada para fachada do teatro

 

 

A montagem da peça “Hoje é Dia de Rock” foi levada à cena pelo Nós do Morro no início do ano de 1990, no Teatro do Centro Comunitário Padre Leeb. A montagem se baseou na peça de autoria de José Vicente que fez muito sucesso no Rio de Janeiro, onde foi apresentada pela primeira vez no Teatro Ipanema, cumprindo temporada de 1971 a 1973 e tendo sido considerada pela crítica como o mais importante espetáculo do ano de 1971. A montagem original de “Hoje é Dia de Rock” tinha direção de Rubens Corrêa, com elenco que contava com artistas conhecidos, como Evandro Mesquita (Blitz), Isabel Ribeiro, Nildo Parente e Ivan de Albuquerque. A montagem do Nós do Morro, em 1990, fez uso do elenco do grupo que, desde 1987, vinha sendo preparado com aulas de formação de ator, corpo, improvisação e canto, muitos dos quais fizeram parte das montagens anteriores do grupo como as peças “Encontros”, “Os Dois ou o Inglês Maquinista”, “Torturas de um coração” e “Biroska”.

 

 

“Hoje é Dia de Rock” conta a história dos filhos de Pedro Fogueteiro, moradores de uma cidade do interior mineiro e que passam por um processo de transformação na sua juventude, influenciados pelo ritmo novo que começa a tomar conta do mundo: o Rock and roll.

 

O espetáculo “Hoje é Dia de Rock” do Nós do Morro marca a história do Grupo por ter sido o último espetáculo a ser apresentado no Teatro do Centro Comunitário Padre Leeb. Este espaço, idealizado pelos integrantes do grupo e construído no espaço onde existia uma capela feita pelo padre alemão, mas que nunca foi utilizada por falta de licença da Arquidiocese do Rio de Janeiro, funcionou de 1987 a 1990 como sede e sala de apresentações do Nós do Morro. Ali foram encenados espetáculos como “Encontros”, “Torturas de um coração”, “Os dois ou o inglês maquinista” e “Biroska”.

 

 

Em meados de 1990, o Centro Comunitário foi ocupado pela Secretaria Municipal de Cultura, após intensas negociações da prefeitura com o padre Leeb, que viu na entrada do governo municipal uma possibilidade de regularização do seu espaço comunitário. Um dos primeiros atos da Secretaria Municipal de Cultura foi a intromissão na administração do espaço e a crise acabou tirando o Nós do Morro do local. Dali, o grupo perambulou por vários espaços, como o da Escola Municipal Djalma Maranhão, até chegar aos fundos da Escola Municipal Almirante Tamandaré, em 1993, local onde foi construído o Teatro do Vidigal que, até a cessão do Casarão da Rua Nova (2000), funcionou como sede do grupo e local de apresentações das nossas montagens.

 

Semana que vem continuaremos contando a história do Grupo Nós do Morro que completa 30 anos em 2016!

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

 

https://www.facebook.com/CAMPINHO-SHOW-607693089282390/

 

Cartaz Hoje é dia de Rock acervo Nós do Morro

Acervo Nós do Morro: Cartaz do espetáculo "Hoje é Dia de Rock" em 1990

Foto Campinho Show de Maio 18maio

Foto: Dó  @djaltsyn #dó

 

O Grupo Nós do Morro apresenta "Campinho Show", uma atividade gratuita de estímulo à formação de plateia. Com direção de Fátima Domingues e apresentação de Guti Fraga, a equipe Nós do Morro, prepara um show todo especial para o público que sobe o Vidigal, sempre às quartas-feiras.

 

“Campinho Show” estreou em 2009 e desde então oferece gratuitamente uma programação artística para toda a família. O evento dá oportunidade para novos artistas e profissionais que podem se inscrever para apresentar seus números artísticos.

 

Na edição de maio, a diversão está garantida para todas as idades. Venham conferir!

 


Parceiro: Rise Up Care!

 

SERVIÇO: 

DATA: 18 de maio, quarta-feira

HORA: 19h

LOCAL : Palco do Campinho Show - Vila Olímpica do Vidigal, s/ nº

 

 

Contatos para participação no “Campinho Show”:

 


Produtora - Taiana Bastos 21-997064696 


Assistente de Direção: Jeckie Brown 21- 97666-0460

 

 

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

https://www.facebook.com/events/114130229001755/

 

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

 

https://www.facebook.com/CAMPINHO-SHOW-607693089282390/

 

Arte campinho

 

 

Foto Campinho Show do Dia das Mães 13maio

 

 

O Grupo Nós do Morro apresenta "Campinho Show", uma atividade gratuita de estímulo à formação de plateia. Com direção de Fátima Domingues e apresentação de Guti Fraga, a equipe Nós do Morro, a cada 15 dias, prepara um show todo especial para o público que sobe o Vidigal, sempre às quartas-feiras.

 

O “Campinho Show” estreou em 2009 e desde então oferece gratuitamente uma programação artística para toda a família. O evento dá oportunidade para novos artistas e profissionais que podem se inscrever para apresentar seus números artísticos.

 

Na edição em comemoração ao Dia das Mães, a diversão é garantida para todas as idades. Venham conferir!

 


Parceiro: Rise Up Care!

 

SERVIÇO: 

DATA: 13 de maio, quarta-feira

HORA: 19h

LOCAL : Palco do Campinho Show - Vila Olímpica do Vidigal, s/ nº

 

 

Contatos para participação no “Campinho Show”:

 


Produtora - Taiana Bastos 21-997064696 


Assistente de Direção: Jeckie Brown 21- 97666-0460

 

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo."> 

https://www.facebook.com/events/1731119783844486/

 

 

#NósdoMorroano30

#20anosdeCineNósdoMorro

Biroska

 

Foto de cena: Acervo Nós do Morro

 

Antes mesmo de o conceito de investimento social privado se aproximar do empresariado nacional, as dez biroscas do Morro do Vidigal, em 1989, ampliam sua área de atuação, apostando na dramaturgia carioca. Com o apoio de comerciantes locais, estreia “Biroska”, mais uma produção do Grupo Nós do Morro.

 

Ao abordar situações do cotidiano da comunidade de forma similar a “Encontros”, “Biroska” segue a criação pautada na experimentação coletiva, estratégia que marcaria a obra do Grupo. O cenário é uma típica birosca que, do cume do morro, revela situações corriqueiras das noites do Vidigal. O espetáculo mostra ícones da comunidade: a radiante Vilma Caroço, sempre pronta a botar o bloco na rua. Lu, dona da birosca, e um casal de nordestinos. E a catadora de papel Margarida, representando o desamparo em que foi deixado o povo brasileiro.

 

No espetáculo de único ato, 21 atores compõem a cena, com idades entre 7 e 79 anos. Diante de uma autêntica birosca, a peça incorpora o episódio vivido por Neguinho, um morador do morro que crê ter ganhado no bicho e, impulsivo, paga cerveja para toda a comunidade. Um engano. Resolvido, é claro, pelo impagável jeitinho carioca, regado a inúmeras doses de improviso.

 

Com Biroska, a semente lançada em 1986 no palco do Centro Comunitário Padre Leeb, começa a dar frutos. Em sua quarta montagem, o Grupo conta com um elenco composto por 70% de novatos, amplia seu espaço físico e conquista a credibilidade dos moradores. É um caminho sem volta. Identificada de vez com o Grupo, a comunidade abraça uma rotina artística.

 

Com uma linguagem informal e regida por personagens folclóricos do Vidigal, o espetáculo é costurado por cenas soltas, transcorridas sobre o chão de terra e ripas de madeira e zinco. A cada apresentação, 110 espectadores se instalam nos oitenta assentos do teatro. O que se vê é euforia, cumplicidade e muita gargalhada. O ingresso é cobrado com base no preço de uma garrafa de cerveja.

 

 

Continue acompanhando a história do Grupo Nós do Morro que completa 30 anos em 2016.

 

 

Biroska Matéria de Jornal

 

 Matéria de Jornal de 1990

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

https://www.facebook.com/CAMPINHO-SHOW-607693089282390/

 

 

Os Dois ou o Inglês MaquinistaSITE 

Foto: Acervo Nós do Morro

 

 

Tráfico, corrupção, cambalacho, cabide de empregos. Em 1988, quando a noite cai sobre o Morro do Vidigal, os moradores esquecem a conturbada realidade em que vivem e voltam duzentos anos na História. Mas já nos primeiros minutos de espetáculo, uma revelação: um Brasil moderno vigora sobre as reminiscências de um passado reincidente. O mesmo que, em 1840, angustiou o teatrólogo Martins Pena.

 

Na comédia “Os Dois ou O Inglês Maquinista”, o dramaturgo traça um retrato sutil da sociedade burguesa carioca do século XIX, bastante similar ao registro contemporâneo. Uma abordagem do contrabando dos negros africanos e da luta entre dois grupos antagônicos: o dos traficantes e interessados na manutenção do tráfico e o dos ingleses, que vislumbravam no fim da escravidão uma oportunidade para aumentar o lucro de seus negócios comerciais no Brasil.

 

 

Aqueles que prestigiam a terceira montagem da companhia têm a oportunidade de mergulhar na cabeça da realidade do morro. Sob direção geral de Guti Fraga, o espetáculo convida o público a deixar do lado de fora do teatro os preconceitos que marginalizam o trabalho do próprio Grupo. Presságio de um estigma em declínio. Um adeus ao “teatrinho do morro” e o advento da montagem profissional.

 

 

Com o espetáculo “Os Dois ou O Inglês Maquinista”, o Nós do Morro faz sua primeira bilheteria: simbólicos CZ$ 50,00 (cinquenta cruzados) por pessoa. Resultado: Centro Comunitário Padre Leeb lotado!

 

Semana que vem contaremos mais uma parte da história do Nós do Morro que completa 30 anos esse ano. 

 

 

                          cartaz Os Dois ou o Inglês Maquinista

                         

                                    Cartaz de Divulgação do espetáculo "Os Dois ou o Inglês Maquinista"

 

 

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

 

https://www.facebook.com/CAMPINHO-SHOW-607693089282390/

 

 

Serve-se no Chapitô

 

 

O ator Marcello Melo, da Cia Nós do Morro, está em solo português e fará duas únicas apresentações do espetáculo “Serve-se” nos dias 1º e 2 de maio na sede do Chapitô em Lisboa.

 

O espetáculo propõe que o público, a partir de uma espécie de “cardápio”, escolha o repertório de músicas, poesias e histórias que serão apresentadas na noite.

 

O "Cardápio", sempre preparado com convidados artistas, já tendo participado em edição no Teatro do Vidigal: Sérgio Ricardo e sua família de músicos cantores e no Teatro Sérgio Porto o músico Rogê. Marcello Melo conduz a noite em Portugal com artistas portugueses e promete "prato" surpresa. 

 

Já no Brasil Marcello Melo ensaia o espetáculo "Bataclã" quem tem estreia para o segundo semestre e junto com a "Mostra Nós do Morro" e as Sessões de Cineclube compõe o projeto "Nós do Morro Ano 30" patrocinado pela Petrobras. E faz parte das comemorações de 30 anos do Grupo que deseja comemorar com muitas realizações celebrando o acesso à arte alcançado nessas três décadas.

 

Nós do Morro e Chapitô, uma parceria de longa data:

A história dos dois grupos começou a se cruzar em 1998, a partir de um intercâmbio de audiovisual promovido pela comunidade européia que proporcionou a vinda de diversos grupos para o Brasil, entre eles, o Chapitô.

 

 

O intercâmbio consistia na vinda do grupo para o Brasil onde as filmagens aconteceram, e após, a ida de integrantes do Grupo Nós do Morro para Portugal, para a sede do Chapitô onde finalizaram o filme intitulado “Mala Macaca”.

 

Desde então a parceria entre os dois grupos só se fortaleceu: em 2010 a peça "Os Pequenos Burgueses"  leva a Cia Nós do Morro a sede do Chapitô novamente e em 2013 é a vez do espetáculo “Bandeira de Retalhos”, também encenado pela Cia Nós do Morro. Em 2014 a Companhia do Chapitô apresentou a montagem de “Édipo Rei” no Teatro do Vidigal.

 

Marcello  Melo esteve em todos esses momentos e esse ano é ele quem leva a arte do Morro a Portugal.  

 

Dois grupos que possuem suas origens a partir do desejo de mudanças sociais através da Arte e que se fortalecem por meio de suas parcerias, que acontecem também através do intercâmbio entre seus estudantes.

 

 

#NósdoMorroAno30#20anosdeCineNósdoMorro#NósdoMorrosustentável

 

https://www.youtube.com/user/cinenosdomorro

 

https://www.facebook.com/grupo.nosdomorro/?fref=ts

 

https://www.facebook.com/integrantes.nosmorro?fref=ts

 

https://www.facebook.com/CAMPINHO-SHOW-607693089282390/

26498892021 4e8eecf3eb z Foto: Ramon Francisco

 

 

A edição do Campinho Show de Outono foi transferida para o dia 04 de maio de 2016.

 

O Grupo Nós do Morro apresenta "Campinho Show", uma atividade gratuita de estímulo à formação de plateia. Com direção de Fátima Domingues e apresentação de Guti Fraga, a equipe Nós do Morro, a cada 15 dias, prepara um show todo especial para o público que sobe o Vidigal, sempre às quartas-feiras.

 

O “Campinho Show” estreou em 2009 e desde então oferece gratuitamente uma programação artística para toda a família. O evento dá oportunidade para novos artistas e profissionais que podem se inscrever para apresentar seus números artísticos.

 


Parceiro: Rise Up Care!

 

SERVIÇO: 

DATA: 04 de maio, quarta-feira

HORA: 19h

LOCAL : Palco do Campinho Show - Vila Olímpica do Vidigal, s/ nº

 

 

Contatos para participação no “Campinho Show”:

 


Produtora - Taiana Bastos 21-997064696 


Assistente de Direção: Jeckie Brown 21- 97666-0460

 

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">

 

https://www.facebook.com/events/1375074939185256/

 

#NósdoMorroano30

#20anosdeCineNósdoMorro

 

Patrocínio

logo petrobras

Sobre o Nós do Morro

mod sobre nos

O Nós do Morro foi fundado em 1986, com o objetivo de criar acesso à arte e à cultura para as crianças, jovens e adultos do Morro do Vidigal. Hoje, o projeto se consolidou e oferece... Leia mais.

Memorial

mod memorial fred

Fred Pinheiro surgiu na nossa vida em 1986. Convidado pelo amigo Guti Fraga, ele subiu o Morro do Vidigal para ajudar a fundar o Nós do Morro. Naquele tempo, aliás, nem éramos Nós do Morro ainda... Leia mais.

Buscar no site

Cadastre-se